Via Sacra: os males do mundo e o amor de Deus

Via Sacra: os males do mundo e o amor de Deus

Via Sacra no Coliseu de Roma presidida pelo Papa Francisco na Sexta-Feira Santa. As meditações foram propostas por um texto da autoria do Cardeal Gualtiero Bassetti, arcebispo de Perugia em Itália. Foram meditações que quiseram demonstrar o imenso amor que chega até ao “escândalo da cruz” participando das feridas do mundo.

Nas 14 estações levaram a cruz várias pessoas: de referir uma família, membros da Unitalsi, a União Nacional Italiana de Transporte de Doentes a Lourdes e Santuários Internacionais e também pessoas de várias nacionalidades, tais como, a China, a Rússia, a Bósnia, os EUA, o Equador, o Quénia e a República Centro Africana.

No final da celebração o Santo Padre propôs uma oração na qual lembrou os fundamentalismos, o terrorismo, as guerras e os corruptos. Denunciou a destruição do meio ambiente e os mares que se tornaram “cemitérios insaciáveis”. O Santo Padre referiu-se também aos “ministros infiéis” que retiram a dignidade aos inocentes. Preces de Francisco também pelos idosos abandonados, pelas pessoas com deficiência e pelas crianças desnutridas.

Mas há sinais de esperança que o Papa Francisco referiu nas pessoas que cumprem os mandamentos, nos arrependidos, nos misericordiosos, nos Beatos e nos Santos, nas famílias que vivem com fidelidade e fecundidade a sua vocação matrimonial, nos voluntários e nos perseguidos. Especial referência do Santo Padre para os consagrados aos quais chamou de “bons samaritanos”.

A vitória do mal dissipa-se perante a certeza da ressurreição e do amor de Deus – disse o Papa no final da sua oração.

(RS)

Anterior Sábado Santo: dia dedicado a Maria, Mãe de Jesus
Próximo Paixão do Senhor: homilia do Pregador da Casa Pontifícia