Sacerdote ensina como viver a Quaresma, como fazer penitência na prática e quais os seus frutos para a alma

Sacerdote ensina como viver a Quaresma, como fazer penitência na prática e quais os seus frutos para a alma

COMO SUBSÍDIO PARA que nossos leitores vivam bem este tempo propício que vivemos agora, – o tempo quaresmal, – publicamos uma entrevista exclusiva com o Revmo. Padre Francisco Reginaldo Henriques de Miranda, atualmente pároco de Nossa Senhora das Graças do Jardim Elba, São Paulo (SP), dada a Felipe Marques, membro da Associação São Próspero, especialmente para O Fiel Católico. Agradecemos a este digno sacerdote pela disposição em nos auxiliar, e rogamos a Deus que seus esclarecimentos e exortações venham a ser úteis para muitos. Abaixo, uma breve apresentação do entrevistado, e, a seguir, a entrevista propriamente dita.COMO SUBSÍDIO PARA que nossos leitores vivam bem este tempo propício que vivemos agora, – o tempo quaresmal, – publicamos uma entrevista exclusiva com o Revmo. Padre Francisco Reginaldo Henriques de Miranda, atualmente pároco de Nossa Senhora das Graças do Jardim Elba, São Paulo (SP), dada a Felipe Marques, membro da Associação São Próspero, especialmente para O Fiel Católico. Agradecemos a este digno sacerdote pela disposição em nos auxiliar, e rogamos a Deus que seus esclarecimentos e exortações venham a ser úteis para muitos. Abaixo, uma breve apresentação do entrevistado, e, a seguir, a entrevista propriamente dita.

“Deus sempre me pegou pela mão, e assim me trouxe até aqui.”

Padre Reginaldo, como é mais conhecido, é natural de Bom Sucesso, PR. Quando criança, morava na roça, e um padre alemão celebrava as Missas naquela região, às quais o pequeno Reginaldo assistia com atenção. Ia depois para sua casa e simulava a Celebração Eucarística para seus irmãos, como se fosse ele o padre. A vocação veio cedo, como se vê…

Chegando a São Paulo, ainda muito jovem, estudou em colégio jesuíta. Em princípio, evitava os padres, mas depois passou a admirá-los. Logo surgiu a vocação para ser missionário na África. Lendo uma publicação católica, descobriu uma congregação religiosa que trabalhava justamente no continente africano. Assim, perseguiu o seu sonho, até que o realizou. Tornou-se religioso da Congregação dos Missionários de África, que na Europa se chama “dos Padres Brancos”, devido ao hábito. Reginaldo, entretanto, já sentia o desejo de ser pároco, como diretor de uma comunidade entregue aos seus cuidados.

Anterior Perdoar para ser perdoado – o modo cristão
Próximo Significado e importância da Quaresma

Sobre o autor

Imprensa