Papa: “Pobres se sintam em casa nas igrejas”

Papa: “Pobres se sintam em casa nas igrejas”

 

Recebendo os seminaristas da ilha da Sardenha, o Papa disse que as atuais pobrezas materiais e espirituais requerem pastores capazes de estar com os pobres num estilo de vida simples:

 

Cidade do Vaticano

Sábado (17/02), o Papa Francisco recebeu no Vaticano os alunos e mestres do Pontifício Seminário da Sardenha, que se encontra na capital da ilha, Cagilari.

A instituição dedicada ao Sagrado Coração de Jesus completa 90 anos, durante os quais formou muitos sacerdotes engajados nas Igrejas locais, na missão ad gentes e em outros serviços.

O Papa fez uma saudação ao grupo exortando os seminaristas ao trabalho em sintonia com as diferentes comunidades diocesanas, o que é ainda mais importante na realidade insular.

Para o Pontífice, as atuais pobrezas materiais e espirituais requerem pastores atentos aos pobres, capazes de estar com eles com um estilo de vida simples:

“ Encorajo-os a preparar-se desde já a serem padres do povo e pelo povo e não dominadores do rebanho que lhes é confiado, mas sim servidores ”

Há muita necessidade de homens de Deus que mirem ao essencial, conduzam uma vida sóbria e transparente, sem nostalgias do passado, mas capazes de olhar avante, segundo a salutar tradição da Igreja”.

Francisco lembrou aos seminaristas que neles estão depositadas as esperanças da Igreja na Sardenha, que os Bispos os acompanham com carinho e que o Seminário é uma comunidade de discípulos missionários chamados a viver com o Senhor dia e noite, expondo-se à Palavra e ao Espírito.

“ Preparem-se adequadamente para assumir uma escolha livre e irrevocável de fidelidade total a Cristo, à sua Igreja e à sua vocação e missão ”

É também um tempo – completou – em que se cultiva a amizade com Cristo. “Não se pode exercer bem o ministério se não se viver em união com Cristo. Sem Ele nada podemos” – afirmou.

E disse ainda: “No caminho do Seminário o papel dos formadores é decisivo; eles devem agir com retidão e sabedoria para desenvolver personalidades coerentes e equilibradas”.

Anterior Papa pede coerência em nosso jejum
Próximo Papa nomeia novos membros para a Comissão de Tutela dos Menores

Sobre o autor

Imprensa